Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Turismo de massas

Mäyjo, 07.11.14

Este tipo de turismo é realizado pelas pessoas de menor nível de rendimentos, viajando na sua maioria, em grupos, sendo escassos os seus gastos, a sua permanência de curta duração, ocupando, em regra, os estabelecimentos hoteleiros de menor categoria e os meios complementares de alojamento (parques de campismo, apartamentos, quartos particulares, entre outros).

Assim, podemos apontar as seguintes características ao turismo de massas:

  • Os motivos que estão na origem das deslocações prendem-se, fortemente, com a necessidade de evasão ao meio e com o efeito de imitação;
  • Nas deslocações, a preferência, nos transportes, é dada ao automóvel, ao autocarro, aos voos “Chart “;
  • A época de férias situa-se, predominantemente, no Verão, em especial, em Julho e Agosto, no caso Europeu;
  • Utiliza-se geralmente, alojamentos de baixa categoria;
  • O turismo de massas orienta-se, em particular, para os centros de maior concentração turística;
  • É muito afectado pelos movimentos políticos e sociais e fortemente condicionado pela situação económica e pelas medidas de carácter restritivo.

A massificação passou a ser uma característica inerente ao turismo que se irá acentuando com o cada vez maior acesso  das pessoas ás viagens.

À medida que se acentua o grau de urbanização, que aumentam os rendimentos e se banaliza a informação aumenta a aparência das pessoas pelas viagens que tendem a passar, normalmente, as suas férias fora da área  da sua residência.

O aumento do  grau de massificação do turismo daí resultante leva á intensificação da utilização das infra- estruturas e equipamentos turísticos, á excessiva utilização dos espaços e, muitas vezes, á sua destruição, perverte a calma e o repouso que está na origem de importantes correntes turísticas, degrada os monumentos e os centros históricos e destrói o património natural mais sensível.

A massificação do turismo é um facto inelutável e seria absurdo lutar contra ele ou ignorá-lo. O que é fundamental, é compreender e conhecer com profundidade os fenómenos que provoca e tomar as medidas que evitem os seus efeitos nefastos, ou seja, o acesso indiscriminado  e massificado a esses bens turísticos  pode destrui-los ou danifica-los irremediavelmente. Em muitos casos, já é impossível  visitar alguns monumentos históricos, como palácios ou mesmo museus em virtude das multidões que os invadem impedirem a observação dos objetos expostos.

 

12.jpg